quarentena-netflix

[LISTA] Quarentena: 7 k-dramas para ver na Netflix

O coronavírus é uma realidade e chegou o momento de quarentena. Mas ela não precisa ser muito sofrida e cheia de tédio, né? Foi pensando nisso que separamos alguns dramas disponíveis na Netflix e perfeitos para maratonar – ou ver bem devagar, já que não sabemos até quando tudo isso vai durar. 

 

7 drama coreanos para assistir na Netflix durante a quarentena 

Preparo para a nossa lista? Então pega o papel, a caneta ou abra a Netflix e já coloque naquela sua lista que nunca tem fim.

Confira a nossa seleção e salve a sua quarentena!

 

1. Because This is my First Life (2017)

Essa lista não tem uma ordem específica, mas vou começá-la com um dos meus dramas favoritos: Because This is my First Life. Exibido em 2017, ele é um daqueles exemplos de que – na maioria das vezes – a tvN não erra. A história é delicada, sensível e cheia de referências cinematográficas e da literatura sul-coreana. 

Because This is my First Life é sobre dois estranhos que vão morar juntos. Nam Se-hee (Lee Min-ki) é um  designer de computadores com nenhuma aptidão social, mas extremamente inteligente. Já Yoon Ji-ho (Jung So-min) é uma assistente de roteirista, tentando fazer a vida como escritora e, ao mesmo tempo, lidando com a pressão da família. Para piorar ela está sem casa e procura loucamente um lugar para morar. E é assim que essas duas pessoas tão diferentes acabam dividindo a mesma casa. 

Imagem: Divulgação/tvN

O drama também nos apresenta personagens maravilhosos, carismáticos e igualmente complexos como as amigas de escola de Ji-ho, Woo Su-ji (Esom) e Yang Ho-rang (Kim Ga-eun). Completam o time o chefe de Se-hee, Ma Sang-goo (Park Byung-eun) e o namorado de Ho-rang, Shim Won-seok (Kim Min-seok).

Imagem: Divulgação/tvN

São 16 episódios que te fazem refletir, pensar nas nossas decisões e sonhos, e que a vida passa longe de ser o que a gente imagina, mas que sempre vale a pena!

 

2. Reply 1988 (2015)

Quer um drama que una família, amizade, personagens divertido e carismáticos, um pouco da história moderna da Coreia do Sul e um enredo tão incrível que, com certeza, vai entrar no seu top 10? Então você precisa assistir Reply 1988. Exibido pela tvN em 2015, o drama é o último da série Reply e foi a terceira maior audiência da história da TV paga sul-coreana. Também pudera: é sensacional! 

A história começa em 1988, ano das Olimpíadas de Seul e quando a Coreia começou a se abrir para o mundo e a dar adeus – aos poucos – ao regime militar. O drama acompanha a vida de quatro famílias que vivem Ssangmun-dong, ao norte da capital sul-coreana. É lá que conhecemos os nossos jovens protagonistas: Sung Duk-seon (Hyeri), Choi Taek (Park Bo-gum), Kim Jung-hwan (Ryu Jun-yeol), Sung Sun-woo (Go Kyung-pyo) e Ryu Dong-ryong (Lee Dong-hwi). Eles são amigos desde sempre, completamente diferentes, mas extremamente leais. 

Imagem: Divulgação/tVN

Reply 1988 acompanha esses jovens durante a adolescência e o início da vida adulta, assim como também mostra a relação de seus pais, a união daqueles vizinhos e como todos eles estão sempre apoiando uns aos outros. O drama é ótimo para gente entender um pouco mais da história da Coreia do Sul e como o final da década de 1980 foi transformadora para o país. Um exemplo? Em um dos episódios, os personagens vão comer macarrão pasta e não lamen e tudo isso é uma grande novidade. Ou então como banana (sim, banana) era quase um artigo de luxo de tão cara! 

Imagem: Divulgação/tVN

Reply 1988 é um pouco longo. São 20 episódios de 1h30 cada, mas vale cada segundo. Você vai chegar ao final feliz por ter visto uma história tão legal e triste porque ela chega ao fim (e talvez um pouco revoltado por ter shippado errado ou satisfeito por ter shippado certo hahaha)

 

3. Something in the Rain (2018) 

O drama adulto da JTBC divide corações. Há quem ame e há quem odeie. Eu faço parte do primeiro grupo e vou explicar o porquê. Exibido em 2018, o Something in the Rain foi o retorno de Son Ye-jin aos dramas depois de cinco anos afastada da televisão e fala sobre o relacionamento da sua personagem, Yoon Jin-ah, com Seo Joon-hee (Jung Hae-in), irmão mais novo da sua melhor amiga. 

Imagem: Divulgação/JTBC

O drama ganhou espaço no meu coração por vários motivos: a trilha sonora é maravilhosa, a fotografia é linda, o ritmo é relativamente lento, mas gostoso de assistir. Something in the Rain fala sobre as dificuldades das relações humanas e toca em vários tabus da Coreia do Sul, como uma mulher mais velha namorando um homem mais novo, a ideia de que se você não cresce com uma família você não é para casar, assédio moral e sexual no trabalho e outras tantas questões. 

Imagem: Divulgação/JTBC

A relação entre os protagonistas se desenvolve sem pressa e com muita coerência. Algumas atitudes da Jin-ah podem soar estranhas e egoístas e, em alguns momentos, passivas perante à família. Mas precisamos olhar pela ótica cultural sul-coreana. Família tem uma papel diferente por lá e é preciso compreender toda uma realidade bem diferente para não destilarmos julgamentos e preconceitos. 

 

4. Vagabond (2019) 

Exibido pela SBS ano passado e distribuído pelo mundo como Original Netflix, Vagabond é aquele drama que tira o seu ar, te deixa vidrado e te faz ficar de boca aberta durante todos os seus 16 episódios. Isso tudo? Sim, isso tudo! Estrelado por Lee Seung-gi e Bae Suzy, Vagabond teve muito investimento, gravações na Europa e África e um show de atuações e dedicação. 

Imagem: Divulgação/SBS

A história começa com a misteriosa queda de um avião com 211 passageiros. Entre as vítimas está o sobrinho de Cha Dal-gun (Seung-gi). Buscando por justiça, Dal-gun resolve investigar o caso por conta própria e parte para o Marrocos. Lá ele conhece Go Hae-ri (Suzy), agente do Serviço de Inteligência sul-coreano e, aos poucos, os dois vão descobrindo uma teia de corrupção que envolve gente do mais alto nível do governo.

Imagem: Divulgação/SBS

É tiro, porrada e bomba o tempo todo. O mais bacana de Vagabond é o fato de Lee Seung-gi ter feito praticamente todas as cenas de ação. Sim, ele correu, pulou, correu mais um pouco, pulou ainda mais e tudo aquilo que a gente assiste em cena. E a química entre ele e Suzy é explosiva – hahaha -, repetindo a parceria que fizeram em Gu Family Book em 2013. O final deixa gostinho de quero mais. Foi proposital: a produção foi feita pensando em uma continuação.

Se vai ter? Só nos resta esperar e ver. 

 

5. Chocolate (2019) 

Quer chorar e sofrer? Assista Chocolate. Exibida ano passado pela JTBC e vendida com o selo de Original Netflix, o drama é lindo do início ao fim. E triste. Muito triste. Triste demais. Confesso que chorei em todos os 16 episódios, sem exceção. Mas se você não gosta de sofrer, mas busca uma produção que te deixe o coração quentinho, mesmo depois de tristeza, Chocolate também é para você. 

Imagem: Divulgação/JTBC

O drama conta a história de duas pessoas que se conheceram por acaso quando crianças, Lee Kang (Yoon Kye-sang) e Moon Cha-yeong (Ha Ji-won). Na época, os dois se encontraram em um pequena cidade litorânea. Kang era filho de uma dona de restaurante, Cha-yeong estava de passagem quando se perdeu da família e foi parar na porta do estabelecimento, morrendo de fome. O menino então serve uma refeição à garota e a vida dela muda a partir daí. E a dele também, já que é obrigado a mudar para Seul e estudar para no futuro ser médico. 

Mas tem mais uma coincidência entre os dois: a mãe de Kang e Cha-yeong foram vítimas do mesmo acidente, o desabamento de um shopping. Anos mais tardes os dois se reencontram, ele médico e ela chefe de cozinha. Com o desenrolar da história, eles acabam indo trabalhar no mesmo lugar: um hospital de cuidados paliativos. 

Imagem: Divulgação/JTBC

O que eu mais gosto de Chocolate é o fato de que ninguém é mocinho ou vilão. Assim como os pacientes terminais do hospital, todos os personagens sofreram muito durante a vida e cada acontecimento que os fizeram chegar até ali é uma cicatriz enorme. O drama também fala de como comida e afeto estão relacionados e como os dois podem curar feridas e acalmar a alma. 

Entre uma lágrima e outra, vai dar aquela vontade de comer todas aquelas belas refeições e desenvolver uma paixão platônica pela culinária sul-coreana.

 

6. The Liar and his Lover (2017)

Nosso próximo drama é daqueles romances fofinhos, alegres e divertidos! The Liar and His Lover foi exibido pela tVN em 2017 e é baseado no mangá japonês Kanojo wa Uso o Aishisugiteru – e que também tem sua versão cinematográfica no Japão. O drama segue a vida de Kang Han-gyul (Lee Hyun-woo), um gênio musical e ex-baixista da famosa banda Crude Play. Ele abandonou o grupo antes do debut, mas seguiu escrevendo as letras e compondo as melodias e produzindo todas as músicas. Assinando como “K”, ninguém sabe a verdadeira identidade do produtor do Crude Play. 

Imagem: Divulgação/tVN

Até que um dia ele encontra Yoon So-rim (Joy, do Red Velvet), uma estudante do Ensino Médio e vocalista de uma banda com o seus dois amigos infância, Baek Jin-woo (Song Kang) e Lee Kyu-seon (Park Jong-hyuk). Ela se apaixona a primeira vista por Han-gyul e ele se encanta pela voz da garota. Aos poucos, ele também se apaixona, mas esconde o tempo todo sua verdadeira identidade. 

Imagem: Divulgação/tVN

The Liar and His Lover tem muita música, cenas divertidas e uma romance água com açúcar que deixa a gente suspirando. É um drama sem pretensão de te fazer pensar ou de te surpreender. Ele é apenas divertido, doce e encantador. E ainda dá para curtir a trilha sonora lá no Spotify !

 

7 . Itaewon Class (2020) 

Tem Park Seojoon? Então já tô dando play e assistindo! Se um dia te falarem a JTBC não erra, acredite, ela não erra. Itaewon Class é só mais um exemplo do que essa emissora entrega para gente no quesito drama. Impecável do início ao fim, a produção é baseada no webtoon de mesmo nome e conta a história  Park Sae-ro-yi, ex-presidiário, que decide abrir um restaurante no distrito de Itaewon, o local mais cosmopolita e boêmio de Seul. Tudo isso faz parte do seu plano de acabar com a Jangga, maior empresa do ramo na Coreia, e família responsável pela morte de seu pai. 

Imagem: Divulgação/JTBC

O drama começa 15 anos no passado e lá que somos apresentados aos primeiros personagens importantes da trama: Oh Soo-ah (Kwon Nara) e Jang Geun-won (Ahn Bo-hyun). É também nesse momento que todos os motivos para a prisão e o plano de vingança de Sae-ro-yi aparecem. A história vai dando pulos temporais e dez anos após os acontecimentos iniciais, vemos o protagonista com o seu bar em Itaewon, o DanBan (que até ganhou uma conta oficial no Instagram – amo essa transmídia!). Lá encontramos a gerente sociopata e apaixonada por Sae-ro-yi,  Jo Yi-seo (Kim Da-mi), peça fundamental para o desenvolvimento e sucesso do DanBam. Completam o time Jang Geun-so (Kim Dong-hee), Choi Seung-kwon (Ryu Kyung-soo), Ma Hyeon-yi (Lee Joo-young) e Kim To-ni (Chris Lyon). 

Imagem: Divulgação/JTBC

A fotografia de Itaewon Class é linda e as imagens noturnas da região – que tem como pano de fundo a N Seoul Tower – são incríveis. A trilha sonora é impecável! O destaque  vai para duas faixas: “Start Over” (시작), do Gaho; e “Sweet Night” do V, membro do BTS e amigo de Park Seo-joon.

Ah, as atuações de todo o elenco, sem exceções, são brilhantes. Dá vontade de ficar de pé e bater palmas! No final das contas, Itaewon Class é outro exemplo de drama onde ninguém é bom, nem mau, mas resultado da vida, do meio e das circunstâncias. 

Preparado para maratonar na quarentena?

 Conta nos comentários o que você achou da lista, se já assistiu alguns dos dramas e, claro, deixa a sua sugestão por aqui! 

Fique ligado aqui no PQDM que logo logo vamos trazer mais listas e reviews! E não esquece de seguir a gente no Facebook e também no Instagram, tá bom?!

Beijos e até a próxima.

 

Deixe o seu comentário

About the author

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *